quarta-feira, 30 de maio de 2007

Neste final de semana minha "homenagem" foi ao Byrds. Caracas, que banda maravilhosa...
Costumo falar que passaria a vida inteira ouvindo Byrds (brincadeirinha...,rs). Os quatro primeiros álbuns são absolutamente maravilhosos. No melhor estilo Beatles americano estes sáo deliciosos do começo ao fim.
Os Byrds, na minha opinião, foi a banda que melhor recriava clássicos do Dylan. No primeiro álbum (Mr Tambourine Man, 1965) já temos a homônina (acho que está sendo meu preferido atualmente), tem também Chimes of Freedom entre outras.
O segundo, Turn ! Turn ! Turn !, 1965 já (já foi preferido nos últimos anos) tem outras maravilhas como Oh!Suzannah, Set you free this time, entre outros. O próximo, Fifht dimension de 1966 é mais psicodélico (seria alguma influencia de outras bandas e albuns ?) e tem 5D e Eight Miles High (as duas gravadas em 25.05.66, dia que nasci...que responsa, momento historico !!!) e Captain Soul. O próximo é Younger Than Yesterday, gravado em 1967, este que foi meu preferido desde antes e tem a melhor versão de Dylan deles, a linda My Back Pages. Este disco é tambem sensacional, último com David Crosby na banda.
A partir de 1968 a história é totalmente diferente. Após uma reviravolta na banda, apenas Roger McGuinn e Chris Hillman continuam na ativa e entra ninguém menos que Gram Parsons. Não precisa nem falar que criam uma obra prima, o rock-folk-country básico Sweetheart of Rodeo. Se não é o melhor, é o album mais charmoso do Byrds. Único na discografia da banda, traz a marca de Gram, lembrando muito a sua Internation Submarine Band ou ainda o excelente Flying Burritos Brothers. Country pop em plena California hypie de 1968...
Após este disco, Gram sai da banda (na verdade ele fez apenas uma passagem histórica) tendo inclusive problemas com a gravadora em que trabalhava e foi obrigado a abandonar o barco, ficando o Byrds meio perdidão. Os próximos álbuns também são legais. Agora com músicos como Clarence White, John York eles gravam os bons Dr Byrds & Mr Hide, contendo canções como This Wheel´s on Fire (The Band), Candy, entre outras, o disco é bem agradável mas já não conta com aquele toque mágico da versão original.
Já Ballad of Easy Rider aproveita o boom do filme homônimo, se mostra um album menor mas ainda sim com boas canções. 1970 traz Untitled, album duplo, 1 ao vivo e outro de estudio é bastante interessante musicalmente, trazendo lindas versões de Positively 4th Street, Mr. Spaceman e um lado inteiro com Eight Miles High numa versão bem pesada. Nesta altura o Byrds já é um veterano na estrada e está meio sem pegada e nada aconteceu. Hoje ve-se que o album é interessante.
O próximo que ouvi é Farther Along, um disco bom mas que apenas antecipou a queda do Byrds pelo momento em que passavam.
Bom, estes foram os que ouvi, ainda faltou Byrdmaniax, este sim um disco bem fraquinho e que na verdade nem tenho e acho que nem vou comprar, realmente o canto do cisne.
Para complementar a homenagem, ouvi em CD, uma coletanea deles, com os melhores momentos, principalmente da primeira fase. E ainda ouvi um vinil que comprei quando era molecão chamado Byrds play Dylan ... Uma delicia ...
No geral foi um ótimo final de semana, ouvi 11 discos (10 vinis) e 1 CD do Byrds ... e devo admitir, Roger McGuinn, David Crosby, Gene Clark, Chris Hilmann, Michael Clarke estavam entre os melhores do mundo ... Pena que não conseguiram manter o frescor e originalidade dos primeiros 4 albuns ... mas ainda sim vale muito a pena ...
Hoje qualquer banda modernosa que soa meio folk já é citado com influencias de Byrds, banda como Beachwood Sparks, The Thrills, e até mesmo bandas clássicas como REM entre muitas outras. Isto demonstra o poder dos caras.
Pode ouvir, eu garanto ...
blz, recado dado, confere lá e até a próxima homenagem.
Obs : The Notorius Byrds Brothers não foi citado, pois por uma falha imperdoável em minha discoteca descobri que nao o tenho... Preciso achar urgente, vou ter que recorrer a um velho amigo, socorro brother ...
Viva Byrds, ...
Wagner

Um comentário:

neixavier disse...

Wagner, se quizer ir sabado
naquele sebo em moema , agente vai junto, q tal ?
abração.