quinta-feira, 31 de julho de 2008

Olá, Voltando as listas e homenagens, hoje pensei em incluir "os meus 10 discos mais tristes de todos os tempos da minha vida" . Apesar de ser muito feliz, guardando as devidas proporções dos meus valores, me sinto realizado com as minhas conquistas pessoais mas devo admitir que adoro ouvir um disco triste. Geralmente formado por músicas lentas e densas, letras fortes (apesar de que na maioria das vezes isto nem tem muita importância e nem mesmo entendo sempre) são discos que me emocionam e me deixam literalmente viajando ...então vamos lá. Obviamente esta lista (como todas) vão mudando, dependendo sempre do momento que estamos vivendo ...e são bem pessoais e com o tempo posso ir alterando. 1) Lou Reed - Berlin (1973) : este disco é realmente muito foda, clima soturno, letras bem pesadas. Apesar de Lou ter outros sons não necessariamente felizes, este Berlin é duro na queda. Nada indicado para seres humanos com tendências suicidas. A faixas The Kids e Sad Song já denunciam. Discão, triste mas lindo ... A edição em vinil é demais, ... e olha que tem até choro de criança ... 2) Joy Division - Unknow Pleasures (1980) : Bom, neste o próprio vocalista Ian Curtis acabou sendo vítima de toda sua melancolia e suicidou-se se enforcado. O cara era genial, fez 3 discos que dão show em muito mito do rock. Mais tarde os caras que sobraram formaram o eletrônico New Order (bem legal e mais alegre), mas este pretinho do Joy é triste de doer. O Closer também não fica atrás, mas este aqui ganha por pouco. Não ouça em fase de depressão, baixo astral ou qualquer tipo de dor ... 3) Nick Drake - Bryter Later (1969) : Nick Drake, jovem inglês, morreu em 1974, provavelmente de depressão associada a outros males. O fato é que o cara era um craque, hoje reconhecido no mundo todo, mas que na época simplesmente não rolou e apesar de 3 discos clássicos (o primeiro, Five Leaves Left, sensacional, este segundo e ainda outro tão triste quanto este, chamado Pink Moon) denuncia o talento e tristeza do jovem Nick. Recentemente consegui os vinis também, bacana mesmo. Indico uma caixinha com os 3 e ainda vem um disco chamado Time of no Reply com músicas extras bem legais. Como curiosidade, Renato Russo, outro triste, gravou uma música em seu álbum solo (aquele que ele assumia que era) a faixa Clothes of Sand. De Brylater temos as belas Fly, Northen Sky entre outroas. Muito triste, mas muito bom.
4) Leonard Cohen - Songs of Leonard Cohen (1968) - Folk lindo, introduzido pela bela Suzzane, o disco arrepía das cabeça aos pés, tanto pela beleza como pela tristeza. Não se engane com a capa, o cara não é o Dustin Hofmann, é Leonard Cohen, um dos maiores compositores, poetas e cantor de sad songs de todos os tempos. Cuidado, não indicado para se ouvir numa chuvosa tarde de domingo. Fecha com a clássica One of us Cannot be Wrong e ainda tem Sisters of Mercy, nome que deu origem a "triste" e clássica banda homônima dos anos 80. 5) Bob Dylan - Blood on the Tracks (1974) - Este disco é meio atípico do mestre Bob. Nesta época ele já não tinha nada mais a provar para ninguém, não era mais o rei do mundo pop e muito menos estava na sua melhor fase criativa. Após seus "passeios" e "escapadelas" pelo universo feminino finalmente sua esposa Sara resolver dar-lhe um pé na bunda e o cara despirocou a fazer música triste com letras de declarações de amor. Parece que não adiantou muito em relação a esposa..., mas o disco ficou lindo, as faixas Idiot Wind, Tangled up Blue, Buckets of Rain e outras são belas toda vida e apesar dos clássicos dos anos 60 este album acabou sendo um dos meus preferidos do homem...Disco não indicado para caras (ou mulheres) que estão em fase de "transição", o bicho pode pegar e um chorinho, no mínimo, estará garantido. 6) Big Star - Third (Love Sisters) (1975) - Mr Alex Chilton é sempre endeusado e imitado por caras como Mike Stipe (REM), Stephen Malkmus (Pavement) entre outros, fazia obras de arte do real pop (*) dos anos 70 mas simplesmente não estourava nas paradas. Passado tantos anos, finalmente Big Star é citado como uma das grandes bandas pop da época e este disco em questão não é necessariamente um disco triste pelo peso das letras ou melancolia, mas soa triste no seu jeito natural de ser .. Musicas como O Dana, Holocaust e tantas outras soam melancolicas pela sua leveza e simplicidade ... Não indicado para profissionais ou músicos que acham que deveriam fazer mais sucesso do que realmente fazem ... Hoje Alex Chilton ainda grava com o Big Star mas já está mais alegrinho, apesar de dizer que seu último disco será reconhecido daqui a 30 anos, de novo ... 7) Roberto Carlos - Roberto Carlos (1973) - O nosso rei não poderia faltar e este album em especial me traz um clima de tristeza. O que dizer de um disco que contém uma faixa chamada O Divã, super triste, clássicos como a Montanha e a Distância. Fechando com Agora eu Sei (bela canção) é um disco realmente chapadão. A capa ainda mostra o rei com um olhar(zinho) meio perdidão, parece que estava "down" sem saber exatamente para onde ir... Apesar do sangue azul, Rei também fica deprê, fazer o que ? 8) Nirvana - Unpplugged (1994) - Uma verdadeira missa funebre. Sem dúvida uma despedida do mundo. Neste momento Kurt Cobain estava desistindo de tudo ... da sua própria vida. O palco com suas velas pretas acesas indicavam que algo não ia bem. O disco é perversamente lindo, uma faixa melhor que outra e a banda se esquivou de seus clássicos. As 3 últimas são simplesmente de chorar (rs), o mundo nunca mais foi o mesmo depois que o furação Nirvana passou por aqui ... - será que teremos outra revolução musical algum dia ? Nirvana acústico, lindo de morrer !!! Nada indicado para maridos desconfiados ...E agora temos que aturar o batera Dave Grohl (não se engane, ele não é o Ceará do Panico na TV) posando de rock star com sua tosca e fanfarrona banda Foo Fighters ... Não sei de onde ele tira tanta alegria para pular tanto e não cantar nada ... outra tristeza !!! 9) George Harrison - Brainwashed (2001) - Despedida da vida do meu beatle preferido. Apesar de All Things Must Pass (1970) ser muito triste (e belo) neste George já sabia de sua doença e com toda classe e espiritualidade que lhe era pelicular preparou uma bela despedida para todos. Um disco próximo de DEUS, e que não soa nada hipócrita ou piegas, já que a fé sempre acompanhou o bom e velho George. Este disco não é aconselhável para ouvintes com muitas dores e sindromes... 10) Nick Cave - Boatman´s Call (1997) : Se no anterior Murder Ballads Nick cantava sobre casos misteriosos de assassinos, neste o grande cantor e compositor trazia canções sobre fé, pessoas boas e más, DEUS e amor. Um disco denso, moderno, com a cara deste craque que a cada ano envelhece com um bom vinho. Nada recomendável para noites de insônia e madrugadas solitárias.
Extra - RPM - Revoluções por Minuto (1985) - Para dizer que eu não seja um maníaco depressivo e mal humorado indico também este acima. Um disco triste, triste de ruim..., me lembro que vendeu milhões, irritou outros milhões e nos trouxe o mala Paulo Ricardo para ser um sex simbol tupininquim... Realmente uma tristeza..., mas o cara é legal, tentou várias coisas, enfim, um trabalhador da música ...Indicado para quem gosta de música superficial, sintetizadores fáceis e aquela pompa brega do Brasil do Sarney, da inflação e daquele rock do Brasil.
Olha, apesar de ser os meus 11 sad records, devo admitir : jamais comprei este último, ...
Final de semana passada especial, visita da maninha Valéria, velho truta e da mama "gostosona", foi muito rápido, voltem sempre e logo (depois baixo os fotos, ta ?) e semaninha com o Gugu tirando uma onda com o Vicão e Vivi,tudo de bom mesmo ...
Até a próxima e vamos ouvir um som para ficar feliz ?
Seguinte, dia 11, 12 e 13 tô chegando em Sampa para um evento, Mr Captain Trip vou furar no sabadão, mas logo prometo voltar, guarda aquelas raridades para mim...Saudades dos amigos !!!
* obs : real pop -> cortesia do velho amigo João Pacheco

4 comentários:

charles c disse...

Os do Joy Division, George Harrison e Nirvana são realmente... Até pelo contexto do lançamento.

Anônimo disse...

Wagner, obrigado pela presença no www.progshine.com

E vc fez uma lista e tanto aqui hein :)

Abraços

pedro disse...

Cara, e o pior é que eu comprei este último! Bom, vale ressaltar que eu ainda tinha 12 anos e não frequentava tanto assim a sua sala de estar...a partir daí fui deixando para trás coisas um tanto superficiais e refinando mais o ouvido. Refinamento adquirido com a amizade paralela que foi se construindo. Cara, apesar da distância, não a do rei, e sim a geográfica e emocional, tenho seus ensinamentos latentes sempre em minha vida. Saudade! Saúde! Sucesso! Nos vemos no REM?! irei dia 11. Abraço. Miltinho. (pedroclash@gmail.com)

pedro disse...

Só para complementar. Enquanto fiz essa visita, no drive do notebook, toca The Who (Who´s Next), um album que classificaria como um mixto de épico e guerreiro. Tamanha a virilidade e intensidade!